Como vencer a timidez: 10 dicas práticas para você aplicar agora

Quem nunca passou por aquele momento de timidez na vida? Tanto faz se você é introvertido ou a pessoa mais aberta do mundo, em algum momento da sua vida você sentiu na pele a sensação de morrer de vergonha. Quando eu digo sentir na pele, eu quero dizer literalmente. A boca seca, as pernas tremem, o coração passa perto de saltar pela boca e parece que, de repente, alguém resolveu pegar o seu estômago e colocar dentro de uma caixa de fósforo. É exatamente nesse momento de desespero que você percebe a importância de saber vencer a timidez.

Na verdade, não tem nada a ver com ser extrovertido ou introvertido, porque a timidez tem a ver com estar à vontade consigo mesmo em situações sociais um tanto quanto não usuais. Ainda que seja mais comum em crianças, a timidez acaba atormentando muitas pessoas durante a vida adulta. Isso é facilmente perceptível em situação cotidianas, como hesitar em fazer um telefonema ou mesmo não conseguir parar alguém na rua para pedir uma informação.

Pensando nisso, eu preparei aqui 10 dicas práticas para você começar hoje mesmo a vencer a batalha contra a timidez. Não será uma tarefa fácil, mas se você seguir à risca esses ensinamentos tenho certeza que você chegará lá.

1. Entenda e aceite a sua timidez

O primeiro passo para solucionar qualquer problema é aceitá-lo e, a partir daí, buscar entendê-lo. Comece a reparar em como a timidez aparece no seu dia-a-dia, sua frequência, como isso te afeta, tanto fisicamente quanto na realização das suas tarefas diárias.

2. Tenha consciência e foque em seus pontos fortes

Não, você não é o centro das atenções. O cérebro humano processa inúmeras informações por segundo, a vida é complexa, a renovações de problemas e preocupações é diária – e todo mundo tem problemas. Por isso é importante que você entenda que é bem provável que ninguém esteja prestando tanta atenção em você assim.

Uma vez reconhecido isso, comece a olhar para dentro de você mesmo, pense quais são seus fatores motivadores, o que você tem que te diferencia do resto. Da mesma forma que saber as próprias limitações é importante, é fundamental reconhecer seus pontos fortes e explorá-los ao máximo. Criar esse laço de intimidade com suas virtudes terá um impacto imediato em sua autoestima. Com isso, você conseguirá a confiança necessária para superar o medo de se expor.

3. A magia da respiração

Pois é, você já ouviu isso milhares de vezes em sua vida. Sempre que alguém se encontra em estado de choque ou muito nervoso, aparece alguém para lhe dizer “calma, respira”. Então, se você já sabe disso, por que eu estou colocando essa dica aqui? Por 2 motivos: clichês são clichês por um motivo e, nesse caso, ele funciona melhor que muitos remédios calmantes; e, ainda que todo mundo saiba disso, é inacreditável constatar que, mesmo assim, ninguém aplica isso na prática.

A técnica em si não tem muito mistério:

  1. Inspire profundamente pelo nariz;
  2. Solte o ar bem lentamente pela boca;
  3. Durante o processo, concentre-se em sua própria respiração, nos seus pulmões se enchendo de ar, sinta seu corpo começar a se acalmar;
  4. Repita quantas vezes forem necessárias.

Eu avisei. Não tem mistério. A simples repetição desses passos te deixará mais relaxado e descontraído. Faça o teste. Antes de fazer algo que você sabe que te deixará com vergonha, faça os exercícios de respiração por 3 minutos. Quando conseguir se acalmar, volte à dica número 2 e exercite o foco em seus pontos fortes.

4. Você precisa começar a se mexer!

Não sejamos hipócritas: a esmagadora maioria das pessoas que faz exercícios físicos tem objetivos estéticos, ou seja, emagrecer, ficar mais forte, se preparar para a praia no fim do ano. Longe de mim querer desmerecer esses motivos. Tudo que te motiva a ter uma vida saudável é válido.

Pensando nisso, eu vou te dar mais um grande motivo para você largar o sedentarismo de uma vez por todas. Há grandes chances de seu problema de ansiedade estar relacionado com o acúmulo de energia. A boa notícia é que isso pode ser facilmente resolvido com atividades como corrida, pedaladas e natação (ou qualquer outra atividade aeróbica de seu gosto).

Além disso, você pode fazer exercícios de relaxamento na sua própria casa ou no trabalho. Eles são simples e muito efetivos. Siga esses passos:

  1. Sentado ou deitado, foque seus pensamentos em cada parte de seu corpo, comece pela cabeça e vá descendo em direção aos pés. Você irá perceber como essa conscientização te trará inúmeras sensações. Poderá parecer estranho no começo, mas você irá se acostumar;
  2. Após esse “escaneamento mental” do seu corpo, tente identificar qual é o seu ponto de maior tensão. Quando você o encontrar, concentre-se nele por alguns instantes;
  3. Contraia essa parte tensa durante 3 a 5 segundos e relaxe. Faça isso até você sentir um alívio na região;
  4. A seguir, você pode repetir o exercício e detectar outras partes tensas de seu corpo.

5. Você não é perfeito. E está tudo bem!

Grande parte da timidez e do nervosismo está relacionada com a cobrança excessiva que temos com nós mesmos. É nessas horas que começamos a nos comparar com artistas de TV, celebridades, empresários de sucesso (“Seu primo Marquinho tem só 23 anos, começou vendendo brigadeiro no colégio e já fundou um banco, e você?”). Pare com isso agora!

Essa exigência desmedida nos leva a questionar coisas como “por que eu não tenho esse sucesso todo? por que não ganho tanto dinheiro?”. Por não achar uma resposta convincente, acabamos aceitando a ideia falaciosa de que nós não temos porque não somos capazes ou merecedores. É hora de superar esse pensamento atrasado.

A busca pelo perfeccionismo, pelo menos da forma como essa ideia foi vendida para você, é totalmente incompatível com a realidade. E isso te faz sofrer. O ser humano erra todos os dias e você precisa entender como isso é maravilhoso. Tudo depende da forma como você encara seu erro e de qual lição você tira dele.

Tente se expressar de forma livre. Apaixone-se pelo processo de realizar algo. Isso é muito mais importante do que atingir o objetivo em si. Quando você conseguir sentir prazer na jornada, irá enxergar possibilidade de crescer com seus próprios erros e isso irá te levar bem mais longe do que você imagina.

6. Pare de fugir de seus problemas

Chega de evitar situações desconfortáveis. Sim, elas são incômodas, mas seu enfrentamento é uma parte fundamental dessa nossa trajetória. Fugir dessas situações acaba reforçando a sua timidez. Vá aos lugares que te causam desconforto e enfrente situações desconfortáveis. Esses são os momentos perfeitos para você experimentar os exercícios que você aprendeu hoje.

Você poderá descobrir coisas fascinantes sobre si mesmo. Às vezes, o seu maior problema nem é a falta de alguma habilidade social, mas uma mera questão de autoconfiança, atrelada a um medo excessivo de falhar.

O ato de se colocar em situações de estresse fará com que você desenvolva seus pontos fortes e reforce a confiança em si mesmo. Quanto maior o número de situações você enfrentar, mais rápida será a sua evolução. Pode ser difícil no começo, mas, com o tempo, você verá que não é tão aterrorizante como parece e que, a cada nova tentativa, fica mais fácil.

Quando se colocar nessas situações de estresse, pergunte a si mesmo o porquê de você se sentir daquele jeito. Não se satisfaça com a primeira resposta que vier à sua cabeça. Tente encontrar diversas explicações. Esse será um excelente exercício de autoconhecimento.

Entenda uma coisa. Eu não estou dizendo que você deve começar a frequentar somente lugares onde você se sinta incomodado. Não é isso. Só estou batendo na tecla de que o ato de se desafiar constantemente fará você ir muito além do que imagina ser capaz. Saia da sua zona de conforto e faça aquilo que a sua própria timidez te diz diariamente que você não é capaz de fazer.

Quando estiver em alguma dessas situações, pare por um segundo e faça a seguinte reflexão: eu estou confortável? como está minha respiração? estou sentindo prazer no que estou fazendo?

Enquanto a resposta de pelo menos uma dessas questões for “não”, repita incansavelmente os exercícios que aprendeu aqui.

Até aqui, fiz referências a exercícios gerais, que poderiam ser aplicados a diversas situações diferentes. As próximas 4 dicas são voltadas para situações específicas da sua vida que podem merecer uma atenção especial.

7. Timidez no trabalho

Não há dúvida de que a timidez pode ser um grande atraso no desenvolvimento da sua carreira. Superá-la, no entanto, demanda tempo e uma considerável dose de autoconsciência. É um processo gradativo. Um passo atrás do outro. Ou seja, defina pequenas metas diárias que te coloquem à prova, como, por exemplo, puxar papo com alguém na cafeteria, dar bom dia ao dono da empresa ou algo assim. De grão em grão, você terá percorrido um grande caminho ao final do mês.

Antes de cada um desses pequenos desafios, tire um tempo para se preparar, refletir a respeito, faça os exercícios de relaxamento e respiração. E então faça. Não deixe que o excesso de pensamento te faça criar cabeças de dragão onde não há.

Além disso, quebre sua rotina. Corte do seu dia-a-dia hábitos que te deixam em situações cômodas demais. Por exemplo, se você tem o hábito de almoçar sozinho ou com os mesmos dois amigos todos os dias, mude. Convide alguém diferente pelo menos uma vez na semana e puxe uma conversa banal.

Com esses pequenos gestos, você irá começar a ter mais autoconfiança e, ao longo do tempo, tenho certeza que todos à sua volta reconhecerão sua evolução.

8. Timidez na igreja

Para aqueles que frequentam a igreja cristã, a timidez pode ser um grande entrave, já que os templos religiosos são um exemplo rotineiro de grande interação social. Por vezes envolve leitura, palestras, pregações, participar do coral, entre outros.

Em primeiro lugar, vamos ver o que a Bíblia diz a esse respeito. Veja só. Em Romanos 8:31, há o clássico trecho: “que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?”. Em outras palavras, você não deve ter vergonha de ser você mesmo, pois está totalmente amparado pela sua crença. Por sua vez, em Timóteo 2,17, está escrito o seguinte: “pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio”.

Para aqueles que estão iniciando o trabalho de evangelizar, a timidez pode ser um pesadelo, principalmente para os mais jovens. Por isso, acreditar em você e no seu relacionamento com Deus é fundamental. A primeira vez será muito difícil. Na segunda, também será. Na terceira, continua difícil, mas nem tanto. E assim a sua evolução acontece paulatinamente. Quando você perceber, sua timidez terá ficado para trás e você sentirá um enorme prazer em fazer o que faz.

9. Timidez na escola/faculdade

Tanto a escola quanto a faculdade são época maravilhosas para alguns e pesadelos para outros. Para o seleto grupo de alunos populares, geralmente despojados, extrovertidos, dentro dos padrões de beleza, é um sonho. No entanto, para a grande maioria, a história é bem diferente.

Essa importante fase da vida carrega em si uma série de pesos. O jovem está passando por inúmeras mudanças, ainda meio perdido, o que acaba gerando uma grande insegurança. Às vezes a aparência da pessoa não agrada, o jeito de falar, de rir, o desempenho escolar – para que gosta de fazer bullying, tudo isso é um prato cheio.

A situação se agrava na apresentação de seminários, trabalhos em grupo e no famigerado “primeiro dia de aula”. O que fazer para driblar essa timidez? A tarefa não é fácil, mas vou apresentar alguns segredos que podem te facilitar a vida.

Bem, todos os exercícios acima serão de grande utilidade. Por isso, leia-os atentamente quantas vezes forem necessárias e coloque-os em prática!

A pessoa tímida tem aversão a se expor. Quer mais aversão do que apresentar um trabalho na frente da sala, com todos os olhos voltados a você e, além disso, você tem que falar e falar e falar. O julgamento é inevitável. Uma boa dica para isso é fixar os olhos em um ponto na parede, bem no fim da sala. Fale olhando para esse ponto. Assim, você evita olhar para os outros alunos, ver suas reações e, ao mesmo tempo, não fala olhando para o chão. A cabeça erguida também te dará um ar de confiança. Pode parecer estranho no começo, mas é uma ótima técnica para perder a timidez.

10. Timidez para falar em público

Queira você ou não, falar em público faz parte da vida em sociedade. A não ser que você viva em uma ilha como um náufrago, você vai ter que interagir com as pessoas. Indo além, a diferença entre as pessoas que falam bem em público e as demais na incansável corrida pela escalada social é gritante. Aprender a falar bem em público te dará vantagens durante a escola, a faculdade, em relacionamentos amorosos, amizades e, principalmente, definirá os rumos da sua carreira. A lista de benefícios é interminável.

O problema é que, para quem é tímido, falar em público é a anunciação do apocalipse. O que fazer? Há uma série de dicas que eu poderia te dar sobre a ciência da oratória, mas vamos nos ater, por enquanto, ao principal. Boa parte da sua timidez vem de dois fatores: a falta de autoconfiança e o medo do julgamento.

Para resolver o primeiro, a dica é simples. Domine o assunto sobre o qual você terá que falar. Não adianta saber mais ou menos. Não adianta dar uma lida rápida no wikipedia meia hora antes. Saiba de forma aprofundada o que terá que falar. A ideia é que você tenha um conhecimento bem maior do que aquele que você deseja passar. Quando você adquirir o domínio do assunto, a confiança será consequência. Pare e pense: “eu sei tudo sobre isso que estou falando, estou preparado”.

Sobre o segundo problema, pense o seguinte. Faça tudo que estiver ao seu alcance para uma boa apresentação. Ignore o resto. Se você parar para pensar no que as pessoas irão achar de você, não sairá nem de casa. Prepare bem a estrutura da sua apresentação, vista-se adequadamente, faça os exercícios de relaxamento antes e mãos à obra. O mais difícil é começar a falar. Quando você pegar o embalo, o céu é o limite.

Quais são as causas da timidez?

É fato que todos nós somos tímidos em certos momentos, mas isso nos afeta em graus diferentes. Por isso, iremos focar nos motivos que fortalecem a sensação da timidez prejudicial, que é atualmente um dos grandes gargalos de interação social.

Insegurança com a própria imagem. É muito comum nos casos de crianças que sofrem bullying na escola. As provocações constantes – geralmente ligadas à aparência, orientação sexual, cor de pele, etnia, classe social e religião – acabam acumulando uma sequência de experiências negativas no interior da pessoa, o que está intimamente relacionada com a falsa crença de que suas qualidade não são interessantes para os outros e, por isso, a pessoa não é digna de ser admirada. Não raramente isso está ligado a um esforço sobrenatural para se encaixar em um grupo, resultando no tão falado problema de autoestima.

Excesso de foco em si mesmo. Uma pessoa tímida tende a prestar atenção em cada mínimo detalhe de si mesma, aumentando a ansiedade e fazendo com ela fique em constante questionamento sobre cada gesto de seu corpo ou palavra que sai da sua boca. Esses pensamentos negativos são altamente prejudiciais e compõem um ciclo vicioso de autocríticas. Em outras palavras, a pessoa pensa que não faz nada certo e não percebe que, em muitos casos, ninguém à sua volta está sequer prestando atenção nisso. É preciso entender que as pessoas estão preocupadas com suas próprias inseguranças e, por isso, raramente reparam nas dos outros.

A etiqueta do tímido. Desde pequeno, a pessoa começa a se rotular como tímido e isso gera uma falsa ideia de que essa condição não pode mudar. Por causa disso, o tímido construindo em volta de si um muro de proteção, que na verdade serve mais como um fator limitador do que qualquer outra coisa. Quando as pessoas sabem que você é tímido, elas tendem a agir de acordo e isso acaba dificultando a vida de quem quer mudar essa situação.

Quer receber mais dicas sobre timidez e falar em público?

Bom, se você chegou até aqui, isso quer dizer que a timidez é realmente um problema em sua vida e que você está empenhado em vencê-la. Isso é excelente. Pensando exatamente em pessoas como você, eu criei o nosso curso de oratória com exercícios práticos e super eficientes para te ajudar a driblar a timidez e dominar a arte de falar bem em público. Acesse www.guiadaoratoria.com e comece agora mesmo a alavancar sua vida pessoal e profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *