Oratória: o que é e por que você precisa dela para sobreviver?

Você já deve ter escutado a palavra “oratória” milhares de vezes, mas é muito provável que jamais tenha parado para pensar no que ela realmente significa. Afinal, o que é oratória? De uma forma bem simples, é a arte de falar em público para atingir um determinado objetivo. Na prática, podemos definir oratória como as habilidades que diferenciam um discurso comum de um inesquecível.

Por isso, façamos a primeira reflexão: não basta somente falar bem em público, mas é preciso atingir uma intenção prévia. Ou seja, de todas essas ponderações iniciais, é possível concluir que só falar não basta, é preciso ir além. Vou te explicar! Falar com eloquência é falar com desenvoltura, demonstrando conhecimento e domínio do tema abordado. Na prática, oratória é a soma de três aspectos: linguagem corporal, linguagem verbal e uma mensagem bem estruturada.

Dito isso, há uma série de possíveis objetivos que podem ser atingidos através da oratória: educar, informar, motivar, entreter, comunicar, entre outros. A questão principal é a seguinte: se, independentemente do motivo escolhido, ao final da sua fala, seu objetivo não for atingido, isso significa que a sua oratória precisa ser melhorada urgentemente.

O tripé da oratória – Corpo, Fala e Mensagem

O primeiro tópico do tripé da oratória é a linguagem corporal. Ao contrário do que muitos acreditam, não basta sair gesticulando e balançando o corpo para lá e para cá para falar com uma boa linguagem corporal. Para isso, é preciso prestar atenção no jeito de olhar, na forma como você movimenta sua mão, como você caminha e o espaço que você ocupa no momento da fala: o modo como seu corpo se expressa diz muito sobre você – e seu público irá perceber isso, ainda que de forma inconsciente.

Em segundo lugar, temos a linguagem verbal, que nada mais é do que a fala em si. Uma boa fala precisa de excelente entonação, ritmo, ênfase e, obviamente, uma boa dicção. É preciso que suas palavras fluam e tenham dinâmica. Pense no seu discurso como uma trilha sonora de um filme: há momentos de calmaria, de suspense, de agitação, o clímax e o final feliz. Tudo isso depende do modo como você utiliza as palavras.

Por fim, a mensagem. Esse é o ponto principal do seu discurso. Sim, é possível que alguém com uma excelente oratória consiga enrolar uma multidão por horas sem falar absolutamente nada relevante, mas esse não é o ponto aqui. Imagino que, se você está lendo isto, é porque quer chegar a algum lugar, expor melhor suas ideias, convencer mais clientes, conseguir aquela tão sonhada promoção. É por isso que você precisa prestar muita atenção à mensagem que deseja passar.

Para transmitir uma boa mensagem, é fundamental que suas ideias estejam bem organizadas. Por isso é importante que, antes de iniciar a fala, você tenha toda a estrutura em sua cabeça (ou, ainda, em um pedaço de papel à sua frente). Não estou falando que é preciso decorar palavra por palavra o seu texto, mas, no mínimo, saber a ordem dos tópicos que serão abordados e pensar em uma forma de conectá-los, deixando sua mensagem transparecer de forma coerente e coesa.

Pare e pense comigo. Quando você vai assistir a uma palestra, a uma aula ou mesmo a um vídeo no YouTube, o que te chama atenção? Assim como eu, você certamente já percebeu que é muito mais prazeroso e fácil de prestar atenção quando a pessoa fala com entusiasmo, com empolgação, demonstrando ter paixão pelo assunto abordado. É isso que te faz querer continuar assistindo e escutando o que ela tem a ouvir. Para entender melhor isso, é só lembrar daquela sua professora de matemática da sexta série e de como era “empolgante” ficar dois tempos seguidos escutando ela falar sobre fórmula de báskara e a importância do cosseno. Nada legal, certo? Não havia empolgação, faltava entusiasmo, o que, por sua vez, te fazia perder toda a atenção.

Ter entusiasmo significa transmitir sentimento com a fala e, com isso, você aumenta seu poder de convencimento e se torna agradável de ouvir, conseguindo prender a atenção de seu público. Não se engane ao pensar que alguém nasce com uma boa oratória. Há uma série de técnicas para isso. Basta encontrar o método certo e dedicar ao estudo e treino da oratória.

Por que você precisa de uma boa oratória?

Você deve estar pensando “ok, eu entendi, mas eu não quero dar palestras ou me tornar um Youtuber famoso. Então por que eu preciso estudar oratória?”. Como disse o poeta inglês John Donne, “nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo; todos são parte de um continente”. Por isso, interagir com outras pessoas faz parte da nossa rotina e, consequentemente, é um lado essencial da nossa vida profissional.

Vou te dar um exemplo. Em uma entrevista de emprego, quando o recrutador te pergunta sobre você, o que você responde? Vai dizer somente que se formou na faculdade tal no ano 2000, que fez especialização não sei onde e trabalhou não sei com quem? Ok, essas informações são importantes, mas uma boa empresa vai se preocupar não só com sua formação, mas também com suas características mais íntimas, com sua personalidade, com sua capacidade de interagir e de se relacionar com outras pessoas. Por isso, eles também querem saber se você possui entusiasmo, dedicação, se é responsável, comprometido, quais tipos de experiência de vida você já teve. A entrevista de emprego é um momento perfeito para ilustrar o porquê da relevância em ter uma oratória, mas os exemplos não param por aí.

Imagine um outro cenário. Você trabalha em uma boa empresa a um tempo considerável, todo mundo te respeita e sabe que você é sério e comprometido. Você tem consciência disso e, por isso, deseja muito aquela tão sonhada promoção e finalmente passar a ser chamado de “chefe”. Nesse ponto, você deve parar e se perguntar “como está a minha oratória?”. Não entendeu a relação? Eu explico. Um bom líder deve ter, sem sombra de dúvidas, uma capacidade de gerenciar pessoas, de liderar, transmitir confiança, saber mandar e motivar as pessoas com quem irá trabalhar. Ou seja, se você realmente deseja ser chefe, está na hora de começar a se dedicar mais à sua oratória.

O que te diferencia dos grandes oradores? É mais simples do que você imagina. Eles possuem técnicas diferenciadas que os fazem iniciar e terminar uma fala mostrando à audiência exatamente onde querem chegar, conseguindo concatenar ideias e mantendo uma postura que transmita confiança e domínio do tema. Além disso, falam com eloquência suficiente para prender a atenção do público e fazê-los captar a mensagem que deseja passar.

Por isso, é preciso deixar muito claro que a oratória pode (e deve) ser aplicada em muitas áreas da vida: como dar uma palestra, como ministrar uma aula, como defender seu ponto de vista em uma reunião, como ser um vendedor mais convincente, entre milhares de outros exemplos.

Pare um segundo e pense na sua própria vida, na sua profissão, no local onde você trabalha, e reflita sobre como isso pode transformar sua vida.

Como dar o próximo passo?

Agora que você já sabe o que é oratória e como a falta dela está te impedindo de subir na vida, você deve estar se perguntando: “ok, entendi, mas como eu faço para melhorar a minha oratória?”. Pensando nisso, eu criei um curso para te ensinar todos os segredos para aprender a falar bem em público, com diversas dicas práticas que você poderá aplicar imediatamente na sua vida. Para saber mais, entre em http://www.guiadaoratoria.com e confira nosso curso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *